3.4.17

endecha

ponta rochosa de mim,
falésia formada na língua

poesia pedindo mergulho
avista o mar pr'além do
abismo

- eco sem retorno -

palavra amedrontada
de quê? por quê?

não dá impulso de salto,
não aceita o convite dos
ventos.

fica presa à ponta,
à papila insípida.

língua lascada de dor
verso rochoso de mim

abismo exigindo palavra
mergulha no espelho
de si.

afronta a vastidão
dos silêncios,

faz vendaval
em minhas trincas,

desperta segredos
transcritos

na reverberação
dos sussurros.

Nenhum comentário: