7.3.17

Fragmentos: Terra e cinzas

"Na verdade, teu coração está pesado. Há muito que um amigo, ou até mesmo um desconhecido, não se preocupa com você. Há muito nenhuma palavra familiar ou de um estranho aquece teu coração.... Você tem vontade de dizer alguma coisa e de ouvir alguma coisa. Vai, fala! Mas é pouco provável que venha resposta! O vigia não vai te escutar. Ele está perdido em seus pensamentos. Ele está sozinho com seus pensamentos. Ele está murado pela solidão. Você deve deixá-lo em paz." [p.16]


"A quem você diz isso? A Yassin? Logo ele, que não escuta sequer o barulho de uma pedra. O que dizer então de tua voz fraca e trêmula! O mundo de Yassin tonou-se um outro mundo. Um mundo mudo. Ele não era surdo. Ele ficou surdo. Nem ele mesmo tem consciência disso. Ele se espanta porque nada mais faz barulho. E pensar que há alguns dias era tudo diferente. Imagina que você é um menino como Yassin, um menino que ainda recentemente escutava e que nem sabia o que quer dizer ser surdo. E depois, um dia, você não ouve mais nada. Por quê? Seria idiota te dizer que você ficou surdo! Você não ouve, você não entende, você nem sequer imagina que é você que não ouve mais. Você acha que são os outros que ficaram mudos. Os homens não têm mais voz, a pedra não faz mais barulho. O mundo está silencioso... Mas, então, por que os homens movem os lábios?" [p.18]

Atiq Rahimi, 2002. 

Nenhum comentário: