30.11.16

habitar afetos & narrativas

é nossa responsabilidade lutar pelos mais novos


narro!

tranço vivência minha
aos retalhos das bonecas 
à múltiplas mãos-feitas.

desfaço o nó
garganta adentro

e no meio da guerra:
me afeto!

fato posto em sal
dos olhos.

não foi tristeza não,
visse,

[embora tantas-tenha]

foi  dessas coisas.
assim, 

singelezas

que cutucam os
sensíveis da gente.

e, no meio da guerra
sem pausas,

antiii....ga,

feito a cantiga
de minha vó,

como movimento 
repetido
no invisível

qual a voz que nos 
convoca às lutas:

eu me afeto!

e permaneço.

bambeio
sem quedas.

abarcada

por mãozinhas
carinhosas
de erês.

mal sabem que
mantêm meu corpo
em prontidão
de batalhas.

habitam-me
narram-me
afetam-me

traçam em cores
o porvir.


 

Habitar Afetos & Narrativas
Por : Daisy Serena

Nenhum comentário: