16.9.16

.retomada.

"na parada da brisa
firo-me em cacos de vidro
querendo arrancar de mim
velhas amarras"
[miriam alves , facas filadeiras]


circulo, circulo
mas desconheço a roda.

carrossel espelhado
fita-me
 reflexo
arfante

transpiro
alheia
à imagem 

estes olhos
não são meus


/
rodopio-
outro.
/


perscruto 
identidade

componho
trovoadas

nuances
terracota

dedos
laçando 
eruexim

que é, então,
o contrário que 
incide?

tintura d'
alvíssimo
tom

traço-fino
eurodolar

que ímpeto é
revirar o moedeiro?

pagar oferta
à branquitude
pelo sangue
retomado?

qual matéria,
afinal,
esmigalha
estrutura?


/
expurgo.
novo
girar.
/


oiço ladainha

poeira
de solados
resosam
terra-batida

corpo telúrico
chamamento
ancestral

- eu vou / eu vou -

sussurro
até que língua
alastra carne

dispenso licenças

é minha chave
na fenda da porta

nesta casa 
é de visita
teu assento.

//

Nenhum comentário: