26.8.16

pêndulo de búfalo & borboleta

epahei, oyá.


também para as manas 
Alessandra & Bárbara

no arrebate
da surpresa-força,

temporal que
não ouvi sinais

quiçá engodo
semiótico:

trovões antevistos
em vestimentas de
significante-riacho

era
alvoroço sem queda
de cachoeira,

rosto duplo
brisa/tufão,

intrínseca tempestade,
minha mãe!

tu veio
nas conchas em
jogo

entregue em
mãos de kianda

e eu, logo antes,
cobrindo campos

com óleos outros
que não pitangas

debandando
corpo-nau

quando não há
embarcação

eu que,
de pronto,

choro_
espargido

peito_
descompasso

pés_
em tambor

finalmente
pude ver

no âmbar
dos teus mantos

no mover
d'uma dança

a fricção
do vento-água

tornado
labaredas.

Um comentário:

Alê Almeida disse...

Ah minha Deusa... você declamou esse amor para Ela?
Caso não, declame... era vai amar...