4.7.16

[.]



Para Math'eus


"sou a sobra do efeito
cascata da vodca
e desse luar"
j.m. wisnik & chico buarque



eu que não durmo mesmo meticulosa em ritos & procedimentos: o cotidiano preparo do corpo rijo para a cama: de início recebo pouco-a-pouco os sopros das águas do chuveiro; para então, entregar aos dedos, tão cansados quanto as escápulas, o perscrutamento de nódulos; é aqui que posso sentir a inervação cedendo lenta ao simulacro de mansidão para, por fim, imiscuir-me gole-pós-gole nas misturas-tantas de ervas colhidas no quintal. 

eu que sigo as receitas e, no entanto, não durmo mesmo quando a canção me acalanta; quando turva enxergo somente os adentros do sonho, sem adentrar. eu que não durmo e me esbaldo em poéticas subjetivas demais para o papel: versejo por entre sinapses labirínticas que não possuo acesso. eu que não durmo e nem posso me dizer desperta. eu que no intermédio sou a própria dobra do mundo buscando o tropeço no tempo-espaço. e os tudos. e os nadas. e o silêncio. 


Nenhum comentário: