9.11.15

os hormônios dilaceram.
revoltosa
     imensidão
que só sabe ser-se-mar

os hormônios botam lágrimas.
rebatem o toque
        desajeitado;
repulsam a invasão
doutro e do eu em si:
    esse sal que vem
do corpo mesmo.

os hormônios pululam
-me um canto.
não reconheço a voz,
      não sou eu
neste timbre tão
dulcíssimo & choroso
(ou sou-mais-eu-também).

os hormônios irrompem
batalhas.
   levantam bandeiras;
fincam pés qual
    estirpe em terra boa.


vez-em-quando se atrevem à zombaria:

"são os hormônios"

pois, às vezes, são mesmo. 
oras,
e eu sorrio deixando a ironia
ser. 


que os hormônios também 
são boa pedida 
pra deixar a verdade

escorrer.




Nenhum comentário: