14.10.15

.eu também daria o nome d'um lugar.

foi apenas um meneio de cabeça. brevíssimo. nem vi quem. apenas vulto num instante transversal. nada haveria entre nós. como as violetas no terraço do segundo andar e meus dedos não conhecerão as carícias um doutro. como o menino e a fruta podre caída da caçamba não se fundirão pelos sulcos dos sabores. como o cartão que bate não percorrerá as covinhas do sorrir de alfredo. como a rinite não permitirá às folhas envelhecidas a fungada quente de joana. como os grilhões não discernirão a dança. como covardias nunca neologizarão entregas. como quem finca bandeira na rigidez não passarinhará desterros. como quem não. como quem nunca. foi apenas um instante. um nadinha. nem trombada e nem tropeço. nada haveria entre nós. nem nó. nem este parágrafo.

Nenhum comentário: