22.4.15

canção para esquecer mais fácil

O corpo puído,
imagem tácita
que pede toada,
que pede sussurro,
que recebe estas mãos
qual fossem a própria voz.

[surpresa do vácuo interposto no nós]

Desengano da pele,
no tato sem toque,
na fenda sem corte,
num cerzir elegíaco
de nossos segredos.

O corpo-matéria
põe rosto & identidade
ao canto sem nota
 desta despedida amorfa
que sem bater de portas
 desalentou-me o sentir.



Nenhum comentário: