19.1.15

Não há enlarguecer de ombros
que suporte mais o peso do mundo
escombros
no jornal do peixe
lágrimas
fundidas em sódio
sobrepostas
descoradas
vinte-e-um
gramas
de cada alma
Não há mãos,
irmão,
pra tanta prece
esmorecida,
resta um fio
e se limita
o pedido
por importância
de espécie,
num beco
o sussurro
"desvãos aos iguais não tão pares"
e deixados
no fundo
dos olhos
se esquece
que sem alcance
da vista
ainda se está
a um movimento
do toque.

Pena sermos
estáticos.

Nenhum comentário: