4.11.14

Hoje não recitarei nada

Não adianta me olhar
com amêndoa
entre os olhos
Não adianta
 sorrir-
me
no sarau
Não adianta
adiantar o relógio
adiar o trabalho
adicionar
meus
postais
na tua
parede
fria
Não serei
eu a aquecê-la
com palavras ternas
Não farei parte
da melancolia 
Posta
Disposta a
me ferir
a derme
esquece-
me
amado
por hoje
não tem soneto
não tem retrato
apertei o interruptor
apaguei 
o
Luar




Nenhum comentário: