13.10.14

Confessionário | ATO VI

Neste aperto que me toma de supetão e me tendencia à melancolia está a certeza da perda, ou o sentimento ainda insistente de não pertencimento, tudo isso me assola, embora saiba identificar o quanto de subjetivismo há no sentir. Sei que está ali, meu pé sobre o seu não deixa dúvidas, com o mais discreto dos movimentos minha mão alcança tuas costas despidas, reconheço a pele, o calor na temperatura, é mesmo você; mas, se ainda assim ficam questionamentos basta virar à minha direita para me entranhar em teu cabelo e nuca. A qualquer instante sei que ouvirei aquelas doçuras que sempre diz, mesmo quando ainda está dormindo, e tudo parecerá tão certo e inabalável, todos os medos ruirão, quisera solidificar estes instantes e comer um pedaço a cada novo terror, mas não há como. Nosso pior triângulo amoroso; eu, você e todos eles.

Nenhum comentário: