8.10.14

Confessionário | ATO V

Te coloco neste altar frente à cama. Imagem imaculada das idealizações do presente, te faço preces esvaziadas no intuito único de superar o que você representa - o espelho, que embora reflexo, é contrário do que sou. Te dou status de inalcançável modelado a gesso na esperança de que não adquira novas formas, e em seu estático tenha chance de me mover. Mas, este movimento não passa de ilusão momentânea, logo percebo o orgânico pulsando na cavidade que julguei oca, aproximando-se de meus focos de desejo, amor, identidade. Covarde, like a little chicken, não combato, recuo e deixo tua vastidão, por mim suposta, infiltrar-se pelos caminhos onde me coloco à entrada, sem submergir, no aguardo.

Nenhum comentário: