23.9.14

Resposta aos que sabem do ódio

Eu quero é falar
de AMOR,
Camarada
Quero te fazer
Sentir
Pelos
Poros
Invadidos
a Ternura
que Emana
Destes
Âmagos,
Quero
a Partilha
Douda
de Segredos
Inconfessáveis
Quero te 
Revirar
Desdobrar
Daqui
até a
Esquina
Quero
Querer
o Ódio
que Esvai
das tuas
Gengivas
Inflama
Borbulha
Aponta
Dispara
Que a
Primavera
Chegou antes
da tua 
Bala
só tem
Flores
no teu 
Cano
Odores
Amores
Despudores
Tudo que
Te faz
Regurgitar
Num pranto surdo
Que eu não ouço
tuas lamúrias
Baratas
Enfia o
Sorriso
no Rosto
com a mesma
Audácia
Que enfiaste
o dedo
Na
Minha
Cara

Nenhum comentário: