4.8.14

Nota # 22

Eu não saberia dizer do gesto amável, 
daquele que se dispõe ante o meu sentir,
não sei descrever seu toque aveludado
sem recorrer à oratória mais completa de clichês

Eu não saberia capturar o âmago,
não do ser, mas do silêncio
transposto no quarto anoitecido,
nem do sussurro que dele emana,
enquanto o mundo murmuria 
canções do outro lado do ouvido

Eu não saberia,
e na ignorância aqui exposta,
despejo palavreados de rimas simples,
para que galguem sem ruídos
ao encontro do bem querer.

Nenhum comentário: