22.7.14

Nota # 12

Como quem ensaia um gesto, um sorrir que quase escapa, mas se reserva na lágrima seca dentro do olho que se fecha com o coração na mão . Quem dirá que este rosto plácido esconde dor, meu bem? Quem dirá que o eu te amo urgente dito entre lábios trocados guarda certezas irrefutáveis? Ninguém ousa a palavra, nem olhar de soslaio, nem eu. Me escondo no teu sorrir tão fácil, tão certo para o meu enlaço, tão certo para o meu viver. Que seja um nós enquanto houver soneto.

Nenhum comentário: