18.10.11

Apessoalidade

É uma apessoalidade tão absurda quanto incompartilhável. Então, como fazer você, que cabe tão milimétricamente dentro de sí, compreender que, às vezes, não estou tão em mim assim? Nada de vozes, visões, ou similaridades esquizofrenicas; apenas uma sensação sem adjetivos de ser-me e não estar-me ao mesmo tempo, de pairar meio à névoa. Para mim, só mais uma faceta dessa ansiedade tão familiar, que para confundir-me cria personas e as solta em meu entorno. Nisto talvez se explique a tendência melancólica, que faz ver que o aperto todo é meu, sou eu em mim, física, concreta e real, mesmo quando turva, acima de qualquer agrura; inevitavelmente real.

Um comentário:

sophiemagdalena disse...

perfeito.